sábado, 28 de janeiro de 2017

On repeat

Bastaram três minutos.
É como se o mundo tivesse parado naquela noite de março. Esqueci-me do dia e do ano. Um grão de areia de contornos irregulares parou o mecanismo da ampulheta e é inútil medir o tempo que teria corrido se algum tempo ainda corresse. 
É sempre a mesma mulher negra, no palco, a cantar a mesma música. O mesmo copo de gin esquecido na mesa redonda coberta por uma toalha de pano verde. Cinco dedos. O teu olhar preso nos meus lábios. As pessoas a desvanecerem-se pelos cantos da sala. O som da voz da cantora a diminuir lentamente. Foi assim que soube.
Bastaram três minutos. 

3 comentários:

  1. já soube que até dois são suficientes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou lenta a perceber as coisas! Preciso de três minutos.

      Eliminar
  2. Lindo...
    Afinal é uma eternidade (Coelho).

    ResponderEliminar