terça-feira, 19 de setembro de 2017

Mãos vazias

Entrego as mãos à manicure com o cuidado de quem lhe deposita um Fabergé. Ela estica-me os dedos e olha-me com expressão inquisidora. Não adianta explicar que estas mãos te pertenceram. Que conservam a memória da forma das tuas. Que dentro delas coube o mundo. 
Há-de devolver-mas tal como as vê: vazias. 

6 comentários:

  1. Partilha então, se fazes o favor, o linkedin dessa pérola. Ando há que tempos em busca de quem me pinte o vazio.

    ResponderEliminar
  2. Ficaram bonitas. Mas não tanto como essa coisa aí sobre pintar o vazio.

    ResponderEliminar
  3. Ainda assim outro vazio, pelo menos mais enfeitado:)
    ~CC~

    ResponderEliminar