terça-feira, 10 de outubro de 2017

a língua das aves


Ouvi-o o mais atentamente que consegui. Compreendi todos os seus estados: o entusiasmo disfarçado; uma felicidade infantil; o medo animal e, por fim, a esperança no fundo da caixa. 
Porém, ocorre-me agora que não percebi uma única frase das que me dirigiu. 
Talvez, com o tempo, tenhamos aprendido a língua das aves. 
É supérfluo o vocabulário dos homens quando é sabido que lhes sobreviveremos muitos milénios e tudo o que precisamos ouvir é um fio de voz, preso ao coração. 

6 comentários:

  1. (...)
    And the wind sways like a great thing tottering—
        Of birds called up by more than the sun,
        Birds of more wit, that substitute—
    Which suddenly is all dissolved and gone—
        Their intelligible twittering
        For unintelligible thought.
    (...)

    Wallace Stevens

    O trinar inteligível do pensamento ininteligível [das aves].

    ResponderEliminar
  2. sonhei que tinha um capão de estimação. era tão grande como uma criança de 3 anos. dócil como as mustelas. branco da cor da neve.

    ResponderEliminar
  3. Agora que voltaste talvez chova.
    Trata lá disso, por favor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é que choveu? Aqui, até trovejou!

      Eliminar
    2. que mais será preciso fazer para acreditarem em mim?

      Eliminar