quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Da quietude

Não o percebi imediatamente. Quando o cosmos salta da esfera armilar faz-se acompanhar por um ruído impossível de ignorar. Mas quando os astros o devolvem ao seu lugar, há o rumor da folhagem a recolocar-se na direção da luz, que é uma forma extrema de silêncio, e nada mais. 
Um final de tarde em que nenhum facto relevante ocorreu, o corpo e a mente reuniram-se, por fim, no mesmo espaço físico. Então, o tempo verbal presente preencheu todo o cenário, as luzes da cidade reconciliaram-se com o desenho das constelações e eu apreendi a noção da quietude:
É o mais perfeito sinónimo da felicidade.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Talvez seja necessário o desencaixe inicial para que possamos perceber o quietude em toda a sua dimensão.
      Boa noite, grande Alexa.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Dizem que anda por aí, ao alcance dos mais esforçados.
      :)

      Eliminar
  3. Quiescente. Sem dúvida. Não é bem Felicidade. É anodinia - que talvez seja de facto felicidade.

    ResponderEliminar
  4. psssssst! ó pirata cor de rosa! este dezembro não haikus?...
    precisava de saber a sina para 2018...

    http://starsmythicalcreatures.blogspot.pt/2016/12/ah-poesia.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos tratar desse assunto! Um oráculo de haiku nunca fez mal a ninguém

      Eliminar